segunda-feira, 21 de junho de 2010

República Tcheca - Aventura em Praga



Texto e imagens: Márcio Rossi


Não é justo. Quando se fala em cerveja de qualidade mundo afora, logo são referenciadas as escolas alemã, belga e inglesa; certo, são regiões irradiadoras de cultura cervejeira para todo o mundo. Qualquer outro lugar onde se queira produzir cerveja de alguma qualidade buscará inspiração no que foi inventado nelas. Nesse cenário, a importante contribuição da região tcheca da Bohemia ficou obscurecida. Essa injustiça merece reparação.

Os bávaros levam o crédito de pioneiros cerveja lager. Menos destaque mereceu o empreendedor tcheco František Ondřej Poupě cujas pesquisas e estudos contribuíram na criação da cerveja lager e permitiram aos tchecos surpreenderem o mundo, na metade do século 19, com uma inusitada cerveja dourada e clara cujo estilo receberia o nome da cidade bohemia onde surgira: pilsner.

Foi desastroso para esse estilo seu uso equivocado mundo afora para nomear cervejas de qualidade duvidosa vendida em volumes oceânicos. Por vezes, mesmo o consumidor interessado em cervejas de qualidade direciona suas atenções para as escolas clássicas, destacadamente belga, inglesa e alemã ou mesmo a nova escola americana que bebe de todas as fontes. Enquanto cervejas belgas ultrapassam 250 rótulos cadastrados no site especializado Brejas, a Alemanha e EUA vêm em seguida algo na casa dos 140, Reino Unido com uma modesta centena. E a Rep. Tcheca, como fica? Míseros 30 rótulos, a maioria com avaliações medianas.

Permito-me especular sobre dois motivos que estariam por trás desse desinteresse pela cerveja tcheca: uma idéia equivocada de que lagers claras sejam simples, destituídas de qualquer complexidade que as torne merecedoras de atenção gastronômica. Outra coisa é a viagem. E uma cerveja marcadamente leve se evidenciará com maior destaque qualquer defeito, além de ser mais vulnerável ao calor, à luz e ao tempo em uma viagem marítima trans-continental. Enfim, chegam aqui sem a qualidade que teriam se apreciadas jovens e perto de casa. Confirmei pessoalmente esse contraste.

Fiquei apenas dois dias na charmosa Praga. Tempo suficiente para voltar fascinado com a qualidade e diversidade da cerveja lager feita ali. Cheias de personalidade, complexas e deliciosamente saborosas, sejam as grande marcas ou rótulos artesanais. Soma-se a isso o charme de uma cidade milenar cuidadosamente conservada e teremos em Praga uma roteiro obrigatório para o apreciador da cerveja de qualidade. Um detalhe adicional: preços honestos, mesmo em bares e restaurantes. Claro, ao lado das principais atrações locais o preço salta, mas ainda assim, não assusta: de R$ 3.5 R$ 5 um chope de 500 ml. No supermercado encontra-se abaixo em torno de R$ 2 a garrafa.


Instalações da Staropramen em Praga

Experimentei algo em torno de 20 rótulos, não tive uma decepção sequer (descontado um chope que veio quente...). Das consagradas Urquell e Gambrinus a outras locais como Klaster ou Lobkowicz, um festival de qualidade, lúpulos deliciosos e cervejas feitas com esmero. E bares cheios de charme abertos o dia inteiro. Aliás, esse é um programa fantástico: você planeja um ponto de partida e um destino, entre eles caminha e vai parando pelo caminho ao deparar-se com alguma coisa diferente. Foi assim que eu e o Zé Felipe da Wals conhecemos um barzinho fantástico, o Jáma Steak House onde encontramos 5 bicas jorrando preciosidades locais fora do roteiro comercial enquanto íamos da fábrica da Staropramen (marca da Inbev que faz uma excelente pilsner) para o U Fleku, brewpub do século XV, imaginem. E ainda nos detivemos outras duas vezes, sempre que se apresentava um anúncio de cerveja diferente, o que nos levou ainda a experimentar a Bernard e a Zatec, esta ú;tima simplesmente maravilhosa enquanto a versão garrafa que chega ao Brasil vem comprometida pela oxidação resultante da viagem.

Bicas de artesanais no Jáma

Belíssima cidade com excelente cerveja; incluam em seus roteiros cervejeiros essa aventura histórica pelas ruas de Praga, seus bares e cervejarias. Claro, havendo mais tempo, há outros roteiros merecedores de atenção na Rep. Tcheca, eu já inclui na minha lista de desejos!

U Fleku e algum outro buteco pelo caminho

Um comentário:

Jose disse...

Caro amigo Marcio,

Excelente materia!! so conseguiria explicar melhor se os leitores pudessem nos acompanhar...

 
.